domingo, 27 de abril de 2008

Ecodicas para mantermos a boa qualidade do nosso meio ambiente

Energia

>> Opte por chuveiros de baixa potência, de preferência na posição 'Verão'. Evite banhos quentes entre 18h e 19h, horário de pico.

>> Para o ferro elétrico, passe a maior quantidade possível de uma só vez. Reserve roupas leves para o final da operação, com o ferro desligado.

>> Evite secadoras de roupas. No verão, desligue a torneira elétrica.

>> Deixe os alimentos quentes esfriarem antes de serem colocados na geladeira. Não forre as prateleiras e não utilize a parte traseira para secar panos ou roupas.

>> Portas e janelas fechadas e manutenção periódica dos filtros economizam até 15% de energia no ar-condicionado. Evite que a parte externa do aparelho fique exposta ao sol.

>> Prefira as lâmpadas fluorescentes compactas. Além de reduzirem o consumo, duram até dez vezes mais que as incandescentes .

>> Use sensores de movimento em áreas comuns, armários e despensas (economia de 3% no seu gasto).

>> 5% do consumo de potência elétrica em uma residência pode estar relacionado apenas ao sistema 'stand-by' (energia em estado de espera).

>> Já a televisão, usada em média cinco horas por dia no Brasil, deve ser programada para desligar, evitando que se durma com o aparelho em funcionamento. Aquecedor Solar Caseiro - Como fazer? Outra opção de economia são os aquecedores solares caseiros para água de banho. Quem quiser construir um desses sistemas utilizando garrafas PET e embalagens longa-vida, entre outros materiais, pode acessar o site abaixo, que oferece um detalhado passo a passo do processo. O custo pode ser inferior a R$ 100,00 e o consumo de energia elétrica cai, em média, até 40%. Acesse:

>> Consumidor: Pense antes do comprar. A impulsividade leva ao consumo de artigos supérfluos. Evite embrulhos muito elaborados.

>> Escolha eletrodomésticos com o selo Procel, que consomem menos energia.

>> Ao invés de trocar, faça um 'upgrade' no computador. Descarte a máquina velha em centros de reciclagem.

>> Não compre animais silvestres. O tráfico internacional de espécies da fauna e flora é um dos principais responsáveis pela destruição de nossos recursos naturais.

>> Diminua o uso de areia, cimento, cal, gesso e brita, que causam enorme impacto ambiental para serem extraídos da natureza, muitas vezes de forma clandestina, em áreas de preservação ambiental.

>> Não compre xaxim, planta típica da Mata Atlântica em franco processo de desaparecimento. Uma opção é o coco, resíduo abundante no litoral e ainda pouco reaproveitado.

>> Dê preferência para madeiras com o selo FSC (Forest Stewardship Council), concedido às empresas que fazem a exploração das reservas de acordo com normas ambientalmente corretas.

>> Opte por produtos de empresas com responsabilidade social.


Alimentação

>> O consumo de pescado deve respeitar os períodos de defeso. Evite espécies em risco de extinção.

>> Prefira alimentos frescos. Mais saudáveis, eles dispensam o uso do freezer.

>> Alimentos orgânicos são menos agressivos à natureza.

>> Combata o desperdício, seja em casa, no supermercado ou nas feiras livres. Em 2002, a energia usada apenas para a produção de comida no mundo foi equivalente 17% de todos os combustíveis fósseis usados nos Estados Unidos.

>> Incentive o feirante a não descartar folhas, ramas e talos. Em casa, juntamente com as cascas e sementes, elas podem enriquecer a alimentação. Confira receitas do Programa 'Alimente-se Bem' do Sesi (http://www.sesisp.org.br/).

>> Busque receitas que economizem água e energia elétrica no seu preparo. Já há opções no mercado, como o nhoque instantâneo da Zini Brasil, que ferve direto no molho e economiza 10 litros de água. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Massa Alimentícias, para o cozimento de 1kg de massa seca, usa-se 10 litros de água. No Brasil são produzidos 1 milhão de tonelada de massas ao ano, que equivalem a 10 bilhões de litros de água que são jogados fora.


Lixo

>> Reduza, reaproveite e recicle.

>> No condomínio ou empresa, implante a coleta de recicláveis.

>> Apóie projetos como o 'Obras das Sobras', que recolhe sobras de material de construção para reutilizá-los em habitações populares.

>> Troque sacolinhas plásticas por retornáveis.

>> Evite produtos descartáveis, como filtros de café. No escritório, adote canecas e outros utensílios reutilizáveis. Escolha produtos que tenham refil de reposição. Opte por papel reciclado.

>> Faça adubo com o lixo orgânico de sua casa.

>> Óleo de cozinha, pilhas e bate- rias podem ser entregues nas agências do Banco Real.

>> Nas praias, nada deve ser deixado, nem o saquinho com o lixo. Nas ruas, recolha as fezes de seu animal de estimação.


Água

>> Elimine o uso das mangueiras, principalmente aquelas com pressurizadores. Lavar um carro com mangueira representa um gasto médio de 600 litros. Nos lava-rápidos, opte pelos que possuem sistemas de reuso de água.

>> Ensaboe todas as louças para enxaguar de uma só vez. Esse processo economiza, em média, mais de 70 litros.

>> Durante o enxague, deixe os materiais recicláveis (latas, caixas longa vida etc) na pia. Por tabela, eles ficarão isentos de resíduos e prontos para o Lixo Limpo.

>> Lava-roupas com abertura frontal gastam menos água que as de abertura superior. Reaproveite essa água para limpeza de pisos, por exemplo.

>> Regue jardins pela manhã ou no final da tarde, quando a evaporação é menor.

>> Ao construir ou reformar, prefira vasos sanitários econômicos, que consomem, em média, seis litros, contra mais de 30 das descargas normais (flash).

>> Opte por apartamentos dotados de alternativas como hidrômetros individualizados, captação de água de chuva e reciclagem do entulho da obra.


Poluição

>> Use menos o carro, faça rodízio com os amigos. Onde houver ciclovias, use bicicletas.

>> Faça revisão periódica do veículo. Fique atento à troca do catalisador, que reduz a emissão de gases tóxicos.

>> Dê preferência a produtos fabricados o mais próximo possível de sua região. O transporte é uma das maiores fontes de emissão de poluentes e mais de 60% de tudo o que é fabricado no Brasil é distribuído por meio de caminhões movidos a diesel de petróleo.

>> Na cozinha, evite ou diminua a quantidade de detergentes sintéticos, responsáveis por mais da metade dos fosfatos encontrados nos lagos e rios.

>> Na maior parte dos casos, o sabão sob a forma de barra, que é produzido a partir de óleos e gorduras vegetais, é rápido e completamente biodegradável.

>> Como sugestão siga a seguinte receita para todo tipo de limpeza: um litro de água quente, uma colher de sopa de vinagre, uma colher de sopa de amônia líquida, uma colher de sopa de bicarbonato de sódio e uma colher de bórax (para desinfecção).

Nenhum comentário: